A ACTIVIDADE MINEIRA PRÉ-HISTÓRICA NO ALGARVE
A actividade mineira pré-histórica no interior Algarvio remonta há 2500 a.c., tendo deixado esta região pejada com uma rica variedade de vestígios arqueológicos. Dentre estes destacam-se escórias, cadinhos de fundição, moldes e artefactos em cobre (machados, serras, escopros). Da Idade do Ferro recuperaram-se lápides representativas da época e da ocupação romana registam-se 2 "vilas" fortificadas, datadas do século I a.c..
RIBEIRA FOUPANA
AMENDOEIRA

O núcleo mineiro de Cova dos Mouros situa-se em Vaqueiros, nas proximidades do povoado Calcolítico de Santa Justa, a pouco mais de 20 km dum antigo porto de embarque em Alcoutim.

Os vestígios existentes dizem respeito a uma mina de cobre com abundantes marcas de actividade mineira desde o Calcolítico até à época romana. Registam-se, ainda, antigos trabalhos de pesquisa no século XIX.

Nesta antiga mina, onde foi reconhecido um poço principal até à profundidade de 30 m, exploraram-se mineralizações cupríferas orientadas segundo NW - SE, no seio de grauvaques da Formação de Mértola. Estas mineralizações hidrotermais coincidem com o núcleo duma dobra anticlinal que atravessa a região segundo a mesma orientação. É nas proximidades deste sistema de filões cupríferos que estão referenciados os diversos vestígios de povoados Calcolíticos, Necrópoles da Idade do Bronze, da Idade do Ferro e vestígios da ocupação romana.
Um dos aspectos arqueológicos mais importantes é o estudo da evolução do conhecimento metalúrgico do Homem primitivo. Baseiam-se no estudo dos fornos primitivos onde se fazia a fundição do minério , existindo uma réplica no núcleo mineiro de Cova dos Mouros.

MINEIRO


APOIO: